quarta-feira, 20 de dezembro de 2017


A Máquina Não Resistiu.

Há muito tempo, eu havia desenhado um hotel para um cliente que seria implantado em Angola, estava no meu arquivo e só agora resolvi resgatá-lo e desenhar novamente, fiz todo o desenho no AutoCad, níveis, seções e elevações. Posteriormente modelei no AutoCad, por fim o software não suportou, finalmente apenas a parte frontal da edificação pode ser renderizada no 3Dsmax.
Algumas pessoas me acham totalmente louco, por desenhar coisas que não serão construídas, eu não saberia viver sem desenhar, sou totalmente dependente do desenho para viver. É provável que as minhas filhas me levem para a reabilitação para que eu deixe de pensar em arquitetura 24 hs por dia, é o que eu sei fazer e gosto muito.

The Machine Did not Resist.

A long time ago, I had designed a hotel for a client that would be deployed in Angola, it was in my file and only now I decided to rescue it and draw it again, I did all the drawing in AutoCad, levels, sections and elevations. Later I modeled in AutoCad, finally the software did not support, finally only the front part of the building can be rendered in 3Dsmax.

Some people find me totally crazy, for drawing things that will not be built, I would not know how to live without drawing, I'm totally dependent on drawing to live. My daughters are likely to take me to rehab so I can stop thinking about architecture 24 hours a day, that's what I know how to do and I really like it.




Aprendi que em Edificações Antigas, principalmente as mais significativas, que se pressupõem tombadas ou históricas, as intervenções principalmente externamente, devem ser comedidas, mantendo-se o prédio com todos os elementos arquitetônicos de época. Certa vez resolvi entrar em um concurso em Marzabotto Bolônia Itália da Green Academy, uma edificação de uma antiga fábrica de papel, onde se indicava ter sido feita pelo Eng. Pier Luigi Nervi (June 21, 1891 – January 9, 1979).
Edificação de rara beleza, com seu interior ainda mantendo as características de uma fábrica italiana, estudei toda a história de Marzabotto e atravé do Street View do Google, fui me familiarizando com o entorno. Cheio de escrúpulo, trabalhei o interior conforme o Programa de Necessidades e pouco intervi no seu exterior, apenas colocando um "portcouchere" e uma caixa d'água. No entorno da edificação, desenhei uma quadra de esportes conforme pedia o programa, um fechamento com um gradil, luminárias com bateria e painel fotovoltaicos e lampadas de Led, o projeto foi enviado, e ao sair o resultado verifiquei que ou o que eu aprendi estava "demodê", ou fora do meu universo de projetos, as coisas tomavam outro rumo bem diferente. O prédio tão preservado por mim, nos projetos qualificados estavam agora envolvidos por estruturas metálicas e vidro, totalmente descaracterizado. A Young Architects Competition escolheu projetos que alcançavam até 8 pavimentos, com rampas no entorno e verdadeiras viagens. Até hoje sou convidado a participar dos seus concursos, não me atrevo, sou daqueles que acham que os projetos devem ser funcionais, não devem apenas ser esculturas. 


Recentemente li uma matéria, que falava de uma ponte feita pelo um grande arquiteto de renome internacional, onde o piso era feito de tijolos de vidro, as pessoas começaram a cair e processar a prefeitura, diante de tal fato a prefeitura resolveu colocar sobre os tijolos um grande tapete de borracha, projetos esculturais são entregues sem o mínimo de detalhamento, acho válido e gosto de ver belas formas, no entanto elas devem funcionar, um museu que vai abrigar grandes obras de arte deve ser uma edificação planejada para esse fim.
Vi na internet um museu no Panamá, belíssimo, super colorido, composição perfeita e coisa e tal, analisando toda a estrutura e sabedor que as chuvas que temos em Manaus são idênticas as que assolam o Panamá, desconfiei que provavelmente a edificação não estava imune de ser varrida pelas chuvas. Na minha viagem de férias, resolvi que iria visitar o museu para tirar de vez a minha dúvida, para a minha surpresa quando lá cheguei, só pude vê-lo pelo lado de fora, o museu que tinha apenas uns 3 anos estava passando por reformas, analisando por fora, tenho quase certeza que foram as chuvas o causador de danos a edificação. Portanto, arquitetura deve levar em conta  primeiramente o homem, depois a sua finalidade, não sou contra as formas esculturais, desde que o detalhe seja resolvido e o projeto esteja completo, para não gerar surpresas desagradáveis com o valor da obra, e rapros futuros.


De concurso em concurso, eu vou me exercitando e tirando grandes lições de planejamento e composição, disciplinas de grande importância para se fazer bons projetos. São vários os concursos, alguns eu participei, outros apenas tomei o programa de necessidades e os desenvolvi.
As maquetes do Centro de Convenções de Paraty e do Prédio para a Prefeitura de Belo Horizonte, foram feitas pela minha ex aluna e arquiteta Aline Suzan, vele ressaltar que o Centro de convenções de Paraty, não foi enviado para o concurso, pois eu tinha que montar as pranchas em cartão pluma, e logo na primeira montagem vieram as bolhas e eu desisti de enviá-los, ainda bem que agora todos os concurso são enviado através de up load.









O principal desafio do projeto do Prédio da Prefeitura de Belo horizonte, estava em um dos lados da edificação, sobre o mesmo, havia uma estação de Metrô, portanto, nos 12,00 m correspondentes a esse lado não poderia haver nenhuma estrutura. Para solucionar o problema, foi criado uma grande estrutura treliçada de concreto, ancorada em dois pilares distantes aproximadamente 30,00 m, sobre a estrutura se desenvolvia todo um lado da edificação, e no subsolo, a estação do metrô. Acima no nível do Térreo, foi criado a Biblioteca e Exposições.

From contest to contest, I am exercising and taking great lessons in planning and composition, disciplines of great importance for doing good projects. There are several contests, some I participated, others just took the needs program and developed them.
The models of the Convention Center of Paraty and the Building for the City Hall of Belo Horizonte, were made by my former student and architect Aline Suzan, please note that the Convention Center of Paraty was not sent to the contest, because I had to assemble the planks in pen card, and soon in the first assembly came the bubbles and I gave up sending them, even though now all the tender are sent through up load.

The main challenge of the Belo Horizonte City Hall Building project was on one side of the building, over the same, there was a subway station, so in the 12.00 m corresponding to this side there could be no structure. In order to solve the problem, a large lattice structure of concrete was created, anchored in two distant pillars approximately 30.00 m, on the structure was developed a whole side of the building, and underground, the subway station. Above ground level, the Library and Exhibitions were created.

Mais um Concurso de Arquitetura


Recentemente após apanhar do AutoCad para desenhar um Hotel de 18 pavimentos em 3D, me vi obrigado a procurar o Revit para desenhar, estudei todos os tutoriais disponíveis na Internet, e desenhei primeiramente uma residencia de 2 pavimentos. eu que torcia o nariz para o Revit, agora estava maravilhado com o que eu poderia fazer e como era leve desenhar com o programa, foi então que eu vi um concurso de projetos de arquitetura para o Parque Estadual do Cocó, era mês de julho, com a entrega para novembro, imediatamente vi que poderia ser a oportunidade para me aperfeiçoar e me desenvolver com o sofware. aos poucos fui percebendo que não era tão difícil assim, até tentar desenhar uma pista de Skate tipo concha, foi então que eu iniciei o aprendizado realmente, desenhando equipamentos mais difíceis, baixei alguns tutoriais e em pouco tempo já estava desenhando com a maior desenvoltura, desenhei praticamente todo o parque. 
Seguindo o planejado, eu exportava o desenho para o 3dsMax e fazia os testes de renderes, algumas vezes renderizando por toda uma noite, finalmente não contente, eu me propus a fazer as pós-produções no Adobe Photoshop, coisa que eu ainda não tinha feito, parava constantemente, assistia uma infinidade de tutoriais e aos poucos fui desenvolvendo as minha pranchas de desenho, no final procurei alguns tutoriais para fazer a diagramação do meu projeto, pois em concursos anteriores eu não gostei do havia feito na apresentação dos mesmos, muitas áreas em branco, e espaços  vazios, não ganhei, apenas concorri, e devo confessar que foi um grande aprendizado.






Recently after picking up from AutoCad to design an 18-story 3D Hotel, I had to search Revit to draw, studied all the tutorials available on the Internet, and first designed a 2-story residence. I was twisting my nose at Revit, now I was amazed at what I could do and how light it was to draw with the program, it was then that I saw an architectural design contest for Cocó State Park, it was July, with the delivery for November, I immediately saw that it could be the opportunity to perfect myself and develop myself with the software. I gradually realized that it was not that difficult until I tried to draw a skateboard lane, so I started learning really, drawing more difficult equipment, I downloaded some tutorials and in a short time I was already drawing with the greatest ease, I drew practically the whole park.

Following the plan, I was exporting the drawing to 3dsMax and doing the rendering tests, sometimes rendering for the whole night, finally not happy, I set out to do post-productions in Adobe Photoshop, which I had not done yet , stopped constantly, watched a myriad of tutorials and gradually I developed my drawing boards, in the end I looked for some tutorials to do the layout of my project, because in previous contests I did not like what I had done in the presentation of them, many areas blank, empty spaces, I did not win, I just competed, and I must confess that it was a great learning experience.

O Ensino da Arquitetura 1
Eu acredito que o desenho a mão ainda é necessário, para um primeiro esboço de uma ideia de projeto, visto que tanto no AutoCad como em outros programas paramétricos (Revit), são apenas ferramentas para tornar a ideia inicial em realidade. No entanto o Desenho de Arquitetura na Prancheta, com todos os traços e hierarquias de linhas e tons, podem ser suprimidos, basta que o entendimento seja feito através do estudo da profundidade dos objetos no espaço, tais como: corte e vistas. Essa matéria em uma sala de aula, podem ser estudados através de um croqui, que vai proporcionar destreza suficiente para a expressão daquilo que se quer produzir.
O avanço é tão grande, que hoje é possível um entendimento de um projeto através das diversas interfaces e camadas, inseridas em um único projeto  (
BIM ou Building Information Modeling), onde os demais projetos (estrutura, Instalações e canteiro), vão estar intimamente relacionados, facilitando inclusive o entendimento das diversas fases de um projeto, que antes estavam em projetos separados, dificultando a visualização por parte dos alunos. Com essa integração em 3D, o estudo da descritiva que era imprescindível, foi ficando para trás, pois a visão do espaço agora é real.

Dessa forma acho que devemos repensar o ensino da Arquitetura, não desperdiçando tempo com disciplinas que já estão incorporadas no próprio fazer arquitetônico, devemos sim, dar ênfase em outras matérias que são imprescindíveis, plástica, modelos em 3D (impressões 3D), física Newtoniana, acústica, instalações, conforto ambiental com ênfase em novas formas de energia renováveis, e preparar nossos alunos para um futuro que já está aí.

The Teaching of Architecture 1
I believe hand drawing is still necessary for a first draft of a design idea, since both in AutoCad and other parametric programs (Revit) are just tools to make the initial idea a reality. However, the Drawing of Architecture in the Clipboard, with all the traces and hierarchies of lines and tones, can be suppressed, it is enough that the understanding is made through the study of the depth of the objects in the space, such as: cut and views. This matter in a classroom can be studied through a sketch, which will provide sufficient dexterity for the expression of what one wants to produce.
The advancement is so great that today it is possible to understand a project through the various interfaces and layers, inserted in a single project (
BIM or Building Information Modeling), where the other projects (structure, Facilities and construction) will be closely related, making it easier to understand the different phases of a project that were previously in separate projects, making it difficult for students to see. With this integration in 3D, the study of the descriptive that was essential, was falling behind, because the vision of space is now real.
In this way I think that we should rethink the teaching of Architecture, it was not time to discipline with that disciplines that are already incorporated in the architectural make itself, we should rather emphasize other subjects that are essential, plastic, 3D models, Newtonian physics, acoustics, facilities , environmental comfort with emphasis on new forms of renewable energy, and prepare our students for a future that is already there.

domingo, 4 de junho de 2017

Influências do Barroco

 Quando estudante de arquitetura no Rio de Janeiro, na década de 80, eu era um estudante duro (no sentido de não ter dinheiro), os meus colegas nas férias viajavam em pacotes da própria faculdade para excursões nas cidades históricas mineiras, e eu ia ficando. Quando me formei e o dinheiro sobrou, a primeira coisa que fiz foi comprar um pacote em uma agencia lá em Ipanema e saí com a minha humilde câmara fotográfica para fotografar tudo que visse pela frente. Estava eu agora em São João Del Rei, maravilha, tudo de história, principalmente do barroco estava caindo sobre mim, mas eram tantas igrejas e palácios, que eu me vi entediado e procurei um bar para tomar conhecimento e tomar literalmente todas as cachaças de Minas, assim unir o útil ao agradável, pois depois de determinado tempo, ninguém é de ferro para ver tantas igrejas.
Pensei: “eu sou um discípulo de Frank Lloyd Write, será que eu preciso ver tantas igrejas?” porém segui em frente, fui a cidade de Tiradentes, maravilhosa, principalmente porque eu sabia que a mina que eu mais admirava na Faculdade de Educação Artística da Benette, tinha um  pai que era um pintor famoso, residente naquela cidade, e pensando nela, aquilo me inspirou para tomar caminhos totalmente diversos do meio “cultural” de visitas a igrejas, rapidamente eu encontrei um bar ao lado de uma igreja, que vendia a melhor cachaça, tinha uma vista do trenzinho de Tiradentes, e não havia um lugar melhor para um fim de tarde  plasmando e bebendo a “bendita malvada”, aí eu comecei a sacar que não só de barroco vive o homem, até porque o mestre Le Corbusier, com os seus princípios modernistas, pouco me convenciam, eu admirava as suas sacações sobre a máquina de morar, mudanças no fluxo das moradias, separando as áreas social, íntima e de serviço, porém a arquitetura desprovida de ornamentos e referências as obras antigas (do passado), principalmente as obras gregas me deixavam um pouco inquieto. Foi imerso nessas inquietações que eu descobri os Pós Modernistas, e eu pensei é isso que eu quero, visitei todas as igrejas e ruelas de Ouro Preto e Diamantina, tomei todas, comi o que pude de melhor da gastronomia mineira, e pensei: vou estudar isso tudo, porque a minha arquitetura não vai se resumir a fachadas lisas de concreto armado, sem plasticidade e ornamentos.
Discorrendo sobre o Barroco, o mesmo trata de um estilo arquitetônico, que teve forte influência do renascimento, e do maneirismo, tendo início no Sec.XVII, consolidando-se e estendendo-se até meados do Sec. XVIII. Como um estilo rico e caracterizado por inúmeros detalhes, que o distinguiam como uma demonstração de força ligado à contra - reforma da igreja católica.
O Barroco no Brasil veio com os colonizadores portugueses, chegando ao Brasil no Sec. XVIII, se estendendo até o sec. XIX. No Brasil, o barroco passou por várias transformações, sofrendo influências Francesas, Espanholas e Italianas.
Alguns arquitetos e artífices, desenvolveram trabalhos, dentro do período barroco, foram eles: Domingo Antônio de Andrade, formado em artes pela universidade de Santiago de Compostela em 1654/1656, atuou principalmente na metade do século XVII.
No Brasil, devido a grandiosidade das suas obras, o nome que aparece é o de Antônio Francisco Lisboa (o Aleijadinho), escultor e entalhador nascido em Ouro Preto em 1738. Ouro Preto é um lugar mágico, quando visitei, mesmo antes de entrar na cidade, a vista já era uma magia, inimaginável, gera uma surpresa daquilo que vamos encontrar, não por ser o berço do barroco, mas porque ali tudo tem uma história de colonizadores, escravos, dominações e mortes.
Agostinho Barelli, nascido em Bolonha, foi o arquiteto do príncipe Ferdinando Maria e de sua mulher Henriette Adelaide de Savoya. Na França alguns trabalhos desse período estão no Louvre, Palácio Real e Palácio das Tulherias. No Brasil, as obras principalmente de arquitetura, estão concentradas no centro do Rio de Janeiro (antiga praça XV), onde eu mostro algumas fotos do meu tempo de estudante, cidades do nordeste, e toda a força do Barroco podem ser apreciadas nas cidades históricas mineiras, Ouro Preto, Diamantina, Mariana, Tiradentes e São João Del Rei.
O porquê de toda essa informação, uma arquitetura e todo um bom trabalho, seja ele intelectual ou físico, tem que ter uma puta base teórica, para que não percamos o foco e a linha que divide o conhecimento e o empirismo.  







When I was a student of architecture in Rio de Janeiro in the 1980s, I was a poor student
(in the sense of not having money), my colleagues on vacations traveled in packages of their own college for excursions in the historical cities of Minas Gerais, and I was getting . When I graduated and the money left, the first thing I did was buy a package at an agency there in Ipanema and I left with my humble camera to photograph everything I saw ahead. I was now in Sao Joao Del Rei, wonder, all of history, especially the baroque was falling on me, but there were so many churches and palaces, that I found myself bored and I looked for a bar to take notice and literally take all the cachaças from Minas , Thus uniting the useful to the pleasant, because after a certain time, no one is iron to see so many churches.
I thought, "I'm a disciple of Frank Lloyd Write, do I need to see so many churches?" But I kept going, I was in the city of Tiradentes, wonderful, mainly because I knew the mine that I admired most at the Faculty of Arts Education Benette, had a father who was a famous painter, living in that city, and thinking of her, it inspired me to take totally different paths from the "cultural" way of church visits, I quickly found a bar next to a church that Sold the best cachaça, had a view of Tiradentes train, and there was not a better place for a late afternoon shaping and drinking the "blessed evil", there I began to draw that not only baroque man lives, Master Le Corbusier, with his modernist principles, little convinced me, I admired his sacraments on the machine of dwelling, changes in the flow of the dwellings, separating the social, intimate and service areas, but the architect The old works (of the past), especially the Greek works made me a little uneasy. I was immersed in these anxieties that I discovered the Post Modernists, and I thought that's what I want, I visited all the churches and alleys of Ouro Preto and Diamantina, I took them all, ate what I could of the best of the Minas Gerais gastronomy, and I thought: I'm going to study That's all, because my architecture will not be limited to the smooth facades of reinforced concrete, without plasticity and ornaments.
Discussing the Baroque, it is about an architectural style, which had a strong influence of rebirth, and of Mannerism, beginning in the XVII Century, consolidating and extending until the middle of the XVIII Century. As a style rich and characterized by numerous details, which distinguished it as a demonstration of strength linked to the counter - reform of the Catholic Church.
The Baroque in Brazil came with the Portuguese settlers, arriving in Brazil in the XVIII Century, extending to the sec. XIX. In Brazil, the Baroque underwent several transformations, suffering French, Spanish and Italian influences.
Some architects and architects developed works within the Baroque period: Domingo Antônio de Andrade, trained in arts by the University of Santiago de Compostela in 1654/1656, worked mainly in the middle of the seventeenth century.
In Brazil, due to the greatness of his works, the name that appears is Antônio Francisco Lisboa (Aleijadinho), sculptor and engraver born in Ouro Preto in 1738. Ouro Preto is a magical place when I visited, even before entering Town, the view was already a magic, unimaginable, it generates a surprise of what we are going to find, not because it is the cradle of baroque, but because everything there has a history of colonizers, slaves, dominations and deaths.
Agostinho Barelli, born in Bologna, was the architect of Prince Ferdinando Maria and his wife Henriette Adelaide de Savoya. In France some works of this period are in the Louvre, Royal Palace and Tuileries Palace. In Brazil, mainly architectural works, are concentrated in the center of Rio de Janeiro (old XV square), where I show some photos of my student time, cities of the northeast, and all the strength of the Baroque can be appreciated in the historical cities Minas Gerais, Ouro Preto, Diamantina, Mariana, Tiradentes and São João Del Rei.
The reason for all this information, an architecture and all good work, be it intellectual or physical, has to have a theoretical base, so that we do not lose the focus and the line that divides knowledge and empiricism.

quinta-feira, 20 de abril de 2017



Idéias Pós Modernas

Antes mesmo de entrar para a universidade, eu tinha como ídolo maior em arquitetura, o Arquiteto Richard Meier ainda sou um grande admirador das suas obras, más na universidade eu tive conhecimento dos Pós Modernistas, Arata Isozaki, Sir James Frazer Stirling e Helmut Jahn. o que me encantava era exatamente o retorno da arquitetura como arte, materiais novos eram mesclados com formas arquitetônicas antigas, deixou a arquitetura o minimalismo das formas modernas, planas e industriais da Bauhaus, e voltou a ser alegre e rebuscada, se contrapondo com as linhas retas e programas predeterminados.

Hoje entendo que arquitetura não é somente a concepção, para que tudo funcione, deve vir embasada no tripé: forma, função e detalhe. Alguns alunos meus, eram exímios desenhistas, faziam formas fantásticas, más quando instigados a colocarem o programa e o detalhamento, eu via a forma fantástica começar a ser demolida. Penso que esse conjunto deve andar junto, para que tenhamos um todo que funcione.
Observando no livro do Helmut Jahn, verificava nos seus desenhos que a concepção já havia ficado para trás, todos os desenhos se referiam a resolução do detalhe.








Ao ser chamado para projetar um Portal, percebi que o portal deveria ter característica Neoclássicas era a expectativa do cliente, logo eu me questionei que a cópia seria apenas um desenho falso. Passei semanas projetando mentalmente como seria a abordagem para o desenvolvimento do projeto. Voltei aos livros e estudei tudo sobre a Arquitetura Grega e o Neoclássico, logo percebi que eu iria propor um projeto onde pudesse mesclar o novo e o antigo, assim nasceu o Portal.






Se o arquiteto é convidado para  fazer um ginásio ou cobrir uma piscina, acho que só uma cobertura tipo galpão industrial não é satisfatória, somos arquitetos e como criadores devemos transformar o entorno de forma harmoniosa e bela. Uma cobertura pode ter os seus encantos, desde que seja tratada com criatividade. Passar anos a fio na universidade fazendo arquitetura, e posteriormente desenvolver trabalhos sem técnica e criatividade, eu penso que a escolha por arquitetura foi uma escolha equivocada.





Before I even entered university, I had as the greatest architectural idol, Architect Richard Meier I am still a great admirer of his works, but at university I was aware of the Post Modernists, Arata Isozaki, Sir James Frazer Stirling and Helmut Jahn. What I loved was exactly the return of architecture as art, new materials were mixed with ancient architectural forms, architecture left the minimalism of the modern, flat and industrial forms of the Bauhaus, and returned to be cheerful and far-fetched, countering with the lines And default programs.
Today I understand that architecture is not only the conception, for everything to work, it must be based on the tripod: form, function and detail. Some of my students, were excellent designers, made fantastic shapes, bad when instigated to put the program and the detailing, I saw the fantastic shape begin to be demolished. I think this set should go together so that we have a whole that works.
Observing in the book of Helmut Jahn, he verified in his drawings that the conception had already been left behind, all the drawings referred to the resolution of the detail.


When being called to design a Portal, I realized that the portal should have Neoclassical feature was the expectation of the client, so I wondered that the copy would be just a fake drawing. I spent weeks mentally projecting what the approach to project development would be like. I went back to the books and studied everything about Greek and Neoclassical Architecture, I soon realized that I would propose a project where I could mix the new and the old, so the Portal was born.


If the architect is invited to do a gym or cover a pool, I think that only an industrial shed type roof is not satisfactory, we are architects and as creators we must transform the surroundings in a harmonious and beautiful way. A cover can have its charms as long as it is handled with creativity. Spending years at the university doing architecture, and later developing jobs without technique and creativity, I think choosing for architecture was a wrong choice.